© 2017. Orgulhosamente criado por Thiago da Silva Medeiros

A ESCOLHA DA BATERIA.

Atualmente existem várias categorias de aeromodelos, principalmente quanto à sua maneira de propulsão como também pelo modelo do avião, pelas suas características, por exemplo, alguns são mais estáveis, outros mais acrobáticos, velozes e etc. Sendo assim, neste tópico iremos tratar sobre os aeromodelos de propulsão elétrica.

Independentemente do tipo de propulsão (elétrico, gasolina, glow ou turbina), todo aeromodelo possui pelo menos dois destes itens: servo, receptor, ignição e motor elétrico. E esses equipamentos necessitam de energia elétrica para funcionar, no caso do aeromodelo, o mais viável é uma bateria que forneça energia elétrica. A bateria é para o aeromodelo como o tanque de gasolina de um carro. 

Para as baterias, o equivalente ao volume de combustível armazenado é a capacidade em Ah (ampére-hora). Uma bateria de 1Ah é capaz de fornecer 1A por 1h, ou 2A por 0,5A, ou qualquer número cuja duração em horas multiplicada pela corrente seja 1. 
Dessa forma, a bateria precisará de uma capacidade de corrente compatível com o motor usado.

A primeira coisa que se precisa ter cuidado é com a capacidade de descarga da bateria. Em um tanque a quantidade de combustível que se consegue tirar em um minuto é determinada pelo tamanho do furo. Um furo grande permite tirar mais vazão, um furo pequeno menos vazão. O equivalente ao tamanho do furo para as baterias é a capacidade de descarga. 

Toda bateria tem uma capacidade de descarga determinada pelo projeto e material de que é composta, geralmente expressa em C, que é a razão entre a corrente que ela pode fornecer e a capacidade da bateria.

Assim, uma bateria de 650mAh e 10C de capacidade de descarga pode fornecer 6500mA, o suficiente para um motor 280-300 e até um 350 dependendo da redução e hélice usada. Se for usado um motor muito menor que estes, o motor terá pouca força para carregar o peso do avião e das baterias. Se for usado um maior, a bateria não dará conta de alimentar o motor. 

Tentar extrair de uma bateria mais corrente do que ela pode fornecer não vai funcionar (o motor não vai receber energia suficiente) e vai danificá-la. No caso das baterias, elas esquentam e podem vazar (se forem de NiCd/NiMh), derreter o invólucro, o avião e causar queimaduras. As LiIon/LiPo, que contém materiais mais inflamáveis, podem explodir ou incendiar.

 Outro fator que determina a escolha é o nível de tensão da bateria. O equivalente elétrico da pressão é a tensão (expressa em volts). 

Alguns motores não precisam de muita tensão para funcionar, outros precisam de mais tensão para funcionar.

Existem baterias de diferentes materiais, cada uma com características bem específicas que determinam seu uso. 

Cada tipo de bateria tem uma tensão específica por célula (pilha) que a compõe, por isto só pode ter tensões nominais em múltiplos destes valores: 

 

Pb (Chumbo-ácido): 2 volts por célula 
NiCd(Níquel-Cádmio)/NiMh(Níquel-Hidreto metálico): 1,2V por célula 
LiIon(Lítio-Íon): 3,6V ou 3,7V por célula dependendo da química 
LiPo(Lítio-Polímero): 3,7V por célula 
LiPoFe(Lítio-Polímero-Ferro): 3,3V por célula 

As mais antigas usadas em modelismo são as de Níquel-Cádmio. Elas geralmente têm alta capacidade de descarga, mas guardam pouca energia. São como um tanque de mobilete com um furo da expessura de um dedo, podem até conseguir fornecer combustível pra alimentar o motor de um caminhão, mas por poucos minutos. Cada célula (pilha) tem 1,2V (tensão nominal), mas costuma chegar a 1,6V quando totalmente carregada e não deve ficar abaixo de 0,8V quando descarregada para não ser danificada. Na prática, ao começar a usá-la a tensão cai rapidamente de 1,6V para 1,3V, diminuindo até 1,1V durante a maior parte do vôo. Quando a carga está no fim, a tensão cai rapidamente, mas neste ponto o modelo já foi obrigado a pousar, porque a potência do motor já não vai ser suficiente para continuar voando. Outra vantagem é que como cada célula tem 1,2V, é possível fazer packs de bateria em tensões de 7,2V, 8,4V, 9,6V, 10,8V, 12V, etc., acrescentando células. As melhores NiCd geralmente são as Sanyo Cadnica. 


As de níquel-hidreto metálico (NiMh) são mais recentes e, apesar de terem capacidade de descarga mais baixa, armazenam mais energia com o mesmo peso (é como se um tanque de 300 litros tivesse o mesmo tamanho e peso de um de 150 litros). Uma bateria de NiMh de 1100mAh a 1500mAh tem o mesmo tamanho de uma NiCd de 600mAh e consegue 
fornecer uma descarga pouca coisa menor. A tensão de cada célula e outras características são semelhantes às das NiCd. As melhores baterias deste tipo são as Kan.  Mais modernas que as NiCd e NiMh são as de íons de lítio (LiIon). 


Muito usadas em notebooks e celulares, estas baterias armazenam muito mais carga com o mesmo peso (seria como se o tanque de 300 litros tivesse o mesmo tamanho e peso de um tanque de 75 litros). Geralmente possuem capacidade de descarga baixa, entre 2C e 6C, funcionando bem em modelos econômicos em que se deseje um vôo de longa duração, mas não recomendadas para modelos muito acrobáticos, 3D ou que utilizem motores de alto consumo. 

Cada célula tem tensão nominal de 3,6V, chega a 4,1V quando totalmente carregada e não deve ser descarregada abaixo de 2,8V por célula. Com LiIon é possível obter packs com tensões de 3,6V (uma célula LiIon), 7,2V (duas células de LiIon, também chamada de 2S), 10,8V (três células de LiIon, também chamadas de 3S). 


As baterias de LiIon precisam de carregadores específicos e mais cuidado na carga, pois apresentam risco de explosão em casos extremos. As mais modernas em uso atualmente são as de polímero de lítio (LiPo). Ao contrário das LiIon, existem LiPo de alta capacidade de descarga, juntando as vantagens das NiCd (descarga) com as LiIon (peso), o que as faz ideais para modelos acrobáticos, assim como para a maioria dos aeromodelos. Como as LiIon, também precisam de carregadores específicos e cuidados na carga e descarga e manipulação, e por serem novidade ainda são um pouco caras, mas tendem a se popularizar cada vez mais. A tensão nominal de cada célula é de 3,7V, atingindo 4,2V quando totalmente carregadas, e não devem ser descarregadas abaixo de 2,8V, sob risco de serem danificadas. 

Na prática, bem antes deste limite o modelo já está com o motor muito fraco e demonstrando claramente que precisa pousar. As marcas mais conhecidas e que são muito confiáveis são ThunderPower, Polyquest, E-tec, Kokan.

 

Sendo assim, escolha seu melhor equipamento, sempre tendo como base as características de seu aeromodelo para conseguir um bom resultado de voo. 

Parte do conteúdo da matéria foi retirado de: http://www.e-voo.com/viewoic.php?t=63

CLUBE DE AEROMODELISMO ASAS DE BIGUAÇU